Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Sabrina Boing Boing sofre assalto com facadas em SP: 'Ele me batia muito'

DJ e modelo estava a caminho de uma festa na noite de sábado, 27, quando foi atacada por um assaltante. Ela levou 45 pontos no braço e teve fraturas.

Lucas PasinDo EGO, no Rio
Sabrina Boing Boing após assalto com facadas (Foto: Arquivo Pessoal)Sabrina Boing Boing após assalto com facadas
(Foto: Arquivo Pessoal)




Sabrina Boing Boing foi mais uma vítima da violência em São Paulo. Em conversa com oEGO neste domingo, 28, a DJ e modelo relatou que estava na Vila Leopoldina, Zona Oeste da cidade, na noite de sábado, 27, por volta das 20h30, quando foi atacada por um assaltante, que com uma faca a agrediu e levou sua bolsa. Ela conta ter levado 45 pontos no braço e ter fraturado dois dedos e a mão.

Após a agressão e assalto, Sabrina conta ter pedido ajuda para moradores da região. "Uma pessoa me socorreu e enrolou um lençol no meu braço, que logo ficou encharcado de sangue. Foi aí que me acalmei e consegui ligar para o Jonathan, meu noivo, e ele foi me encontrar. Apesar de ter plano de saúde, eu não estava com carteirinha na hora e ele me levou para o Hospital São Paulo. Lá eu levei 45 pontos no braço e fiz rai-x, mostrando fratura na mão e nos dedos. Perdi muito sangue. Ele me batia muito", relatou a DJ ainda assustada.
"Eu estava indo para um evento, uma reinauguração de uma clínica de estética. Peguei um táxi e acabei descendo na numeração errada. Enquanto eu procurava o local passou um cara com uma moto e pediu minha bolsa. A bolsa estava em transversal no meu corpo e ele teve dificuldades em pegar, foi aí que eu corri. Ele veio atrás com uma faca e já começou a me agredir. Eu entreguei a bolsa, mas ele parecia transtornado e queria mais dinheiro. Começou a me bater achando que eu estava escondendo algo dele. Fui tentando me defender com o braço e foi aí que veio as facadas", conta Sabrina, que acredita só não ter passado por uma situação de vida ou morte por estar uma rua movimentada. "Muitos carros passavam lá e acho que isso o amedrontou, aí ele parou de me agredir e foi embora."
Sabrina fez boletim de ocorrência da 27ª Delegacia de Campo Belo, próximo a sua residência. "Eles vão investigar, mas disseram que eu devia ter ido numa delegacia próximo ao local que fui assaltada. Eu não consegui nem ver o rosto do assaltante direito para ajudar a polícia. Não tem muito o que fazer. O que fica é o desespero e o medo", conta.
Planos de mudar de São Paulo
Após o susto, Sabrina Boing Boing conta que sua vontade de deixar a capital paulista é maior. Ela revela que já tinha planos de mudança, mas que depois do assalto está ainda com mais vontade de mudar para um local mais tranquilo.
"Eu já tinha na cabeça de sair daqui e quero cada vez mais. A faca foi no meu braço, mas poderia ter sido em qualquer outro lugar, no rosto, no pulmão. Eu tentei me proteger. Acho que ele só não continuou me golpeando porque estava num lugar movimentado. Não podemos sair de casa mais. A cicatriz vai ficar no braço pra sempre, e essa insegurança? E esse medo? A gente vive numa cidade que não tem direito de ir e vir", diz ela.
Imagens fortes (Foto: EGO)

Sabrina Boing Boing (Foto: Arquivo Pessoal)Sabrina Boing Boing (Foto: Arquivo Pessoal)
Sabrina Boing Boing (Foto: Arquivo Pessoal)Sabrina Boing Boing (Foto: Arquivo Pessoal)
Sabrina Boing Boing (Foto: Arquivo Pessoal)Sabrina Boing Boing (Foto: Arquivo Pessoal)
Sabrina Boing Boing após assalto com facadas (Foto: Arquivo Pessoal)Sabrina Boing Boing após assalto com facadas (Foto: Arquivo Pessoal)
Sabrina Boing Boing (Foto: Arquivo Pessoal)Sabrina Boing Boing (Foto: Arquivo Pessoal)

Presidente da Saaec dispara contra vereadores


(Foto: Ilustração)

A presidente da Sociedade Anônima de Água e Esgoto do Crato (SAAEC), Janaína Fernandes, disparou e chamou de vagabundos ao se referir aos vereadores.  A fala ocorreu durante a última semana em entrevista ao Jornal da Educadora. A declaração provocou tumultos na sessão desta segunda-feira (29) no legislativo local.

A gravação foi reproduzida durante a sessão onde os vereadores concluíram que a presidente se referia aos parlamentares. "Tem muita gente aí que recebe dinheiro e acha que tem direito de estar com meu nome na boca, sou uma mulher trabalhadora. Tem muito Vagabundo aí que se tivesse vergonha na cara não abria a boca pra falar no meu nome.", disse Janaína na entrevista.

O vereador da base aliada, Luís Carlo Saraiva (PSL) atribuiu a inexperiência os ataques da presidente. "Por inexperiência a presidente foi infeliz nas suas palavras. Vou pedir que a assessoria jurídica da Casa interpele a Janaína Fernandes para ela explicar as palavras dela naquela oportunidade.", disse.

Ainda durante a entrevista ficou agendado para esta segunda-feira uma nova entrevista onde ela falaria sobre a ação irregular de parlamentares que, segundo ela, estariam barganhado e trocando voto por água. Pela segunda vez Janaína não declinou nomes, disse apenas do que se tratava, mas em meio à entrevista citou um vereador do distrito de Dom Quintino.

Entre os dois vereadores do Distrito, Dárcio Luiz (PSDB) disse que não se sente afetado pelas palavras da presidente da empresa. Ele afirmou que ela contratou uma construtora pra fazer a estação de tratamento. “Eu num chamo aqui de tratamento. Como é que trata a água com areia e carvão? Aquela água está imunda.”, concluiu Dárcio.

O presidente da Mesa Diretora disse que irá tomar providências para que a presidente responda e explique a sua fala ao chamar de vagabundos os parlamentares. Ele disse ainda que ela terá que explicar a acusação de que os vereadores estariam trocado voto por água. A presidente voltou a ocupar os microfones da emissora, mas não voltou a abordar acusar os vereadores.
Fonte:site miséria

Fotógrafo diz que clicou nu frontal de Luana Piovani para a 'Playboy': 'Está linda


Luana Piovani no bastidor de seu primeiro ensaio nu Foto: Christian Gaul

Foram dois dias e cerca de 3 mil fotos. O ensaio de Luana Piovani na revista “Playboy”, no entanto, deve ter no máximo 30 cliques, se muito. O responsável pelos cliques da atriz é o alemão radicado no Brasil Christian Gaul, um velho conhecido da loura.
“Nosso primeiro contato foi um ensaio sensual para a extinta revista ‘Latitude’, há 15 anos”, conta ele, que não faz mistério sobre o que muita gente quer ver, o nu frontal da bela: “A foto foi feita e está linda. Caberá a Luana decidir”, diz ele.
Christian conta que as fotos rolaram num clima de muita confiança e descontração, num lindo casarão dos anos 40, em Santa Teresa.
“Havia uma possibilidade de viajar, mas a Luana não queria ficar longe dos filhos e seria uma mão de obra a mais viajar com todo mundo. Então, escolhemos um lugar bacana e ela aprovou”, justifica.
Tudo passou pelo crivo de Luana. Da locação à equipe, e agora é ela que vai dar a palavra final sobre o que será publicado.
“Vou fazer a pré-edição, enviar para ela e para direção da revista até chegarmos às melhores”, diz Christian, que exalta o comportamento da atriz no set: “A Luana é tão segura e tão boa de trabalhar que nem pede para ver as fotos a cada clique, não se preocupa. Ela já era assim quando a conheci”.
O fotógrafo destaca a maturidade e a desenvoltura de Luana como um dos grandes trunfos do ensaio.
“Ela é uma mulher necessária. Diz o que pensa, não tem medo de errar. Obviamente, o corpo não é o mesmo de uma garota de 25 anos. Mas posso dizer que ela está ainda mais incrível”, elogia Christian, que adianta a atmosfera do ensaio: “Algo bem próximo aos Anos 1960, com uns tons de bege, trabalhados numa luz retrô”.


extra

Capa da 'Playboy' que inspirou CD dos ‘Mamonas Assassinas’, Mari Alexandre fala pela primeira vez


Mari Alexandre afirma ter ficado honrada com a homenagem Foto: Reprodução
extra
Vinte anos após a morte dos ‘Mamonas’, que aconteceu em 2 de março de 1996, a modelo Mari Alexandre relembra o dia em que soube que os seus seios estavam estampando a capa do CD do quinteto.
"Conheci os meninos durante um show deles em São Paulo. Fui parabenizá-los e Dinho me contou que a capa do CD tinha inspiração na minha ‘Playboy’ de 1992. Fiquei surpresa, porque até entrar no camarim, eu não sabia de absolutamente nada. Como tantas pessoas, achava que os seios fossem só uma brincadeira com o nome Mamonas. Foi uma honra, fiquei muito lisonjeada de ter sido musa inspiradora", lembra Mari, aos risos.
Mari Alexandre
Mari Alexandre Foto: Fio Condutor/Divulgação
De sex symbol dos sonhos eróticos dos meninos, Mari passou a ser amiga deles: “O mais legal foi ter construído uma amizade com eles. Saíamos para jogar boliche, lanchar. E não rolava ciúme, a Valéria, namorada do Dinho na época, estava sempre junto. Todos sempre foram muito brincalhões e eram muito respeitosos comigo. Minha barriga doía de tanto rir. É triste terem ido tão cedo, com tanta energia", conta Mari.
Seios que ilustram a capa do CD da banda são inspirados na modelo
Seios que ilustram a capa do CD da banda são inspirados na modelo Foto: Reprodução


extra

CEARÁ PACÍFICO??? Camilo pede ajuda ao ministro da Justiça e à PF para conter avanço do PCC e Comando Vermelho no Ceará

Camilo Santana 1
Camilo receberá requerimento da Assembleia para investigação sobre as facções no CE
Encurralado diante do avanço da criminalidade no Ceará e o domínio das facções criminosas Comando Vermelho e PCC na periferia da Capital, o governador do estado, Camilo Santana (PT) pediu ajuda da Polícia Federal para reprimir a ação dos criminosos vindos do Rio de Janeiro e São Paulo. Mas, acabou levando um não.
A PF informou que poderia auxiliar o Ceará no combate ao tráfico de drogas, mas quando à presença das facções, este assunto é da competência do Estado. Diante disso, o governador partiu para outra opção. Foi pedir ajuda à Justiça Federal e ao Ministério Público, bem como ao próprio ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, que esteve em Fortaleza há duas semanas.
Hoje, Camilo deverá participar da solenidade de posse do novo superintendente regional da PF no Ceará, Delano Bunn. No ato, estará presente o delegado-geral da PF, Leandro Daiello. Será uma nova oportunidade que o chefe do Executivo cearense terá para fazer mais um apelo de socorro diante do avanço das facções na Capital cearense.
O governador agora se acha em maus lenços. Na Assembleia Legislativa há um requerimento do deputado estadual Capitão Wagner (PR), solicitando a abertura de investigações por parte da Polícia Civil para apurar a chegada e a atuação das duas facções.
No ano passado, a mesma Assembleia solicitou de Camilo que requeresse a vinda da Força Nacional de Segurança (FNS) para auxiliar no combate ao crime. Ele sustentou que a presença da tropa da FNS era “desnecessária”. Terminou 2015 com mais de três mil assassinatos no Ceará e com o número recorde de 15 policiais mortos. Neste ano, já são cinco agentes da Segurança Pública assassinados.
Cabo
Enquanto Camilo Santana busca ajuda para sanar um problema que, a princípio, tentou negar diante da Imprensa, outro político já se mobiliza para buscar providências.
Trata-se do deputado federal Cabo Sabino, representante do Ceará na Frente Parlamentar da Segurança Pública na Câmara Federal. Ele já informou que pediu uma audiência com o ministro Eduardo Cardozo para tratar do assunto. 
.blogdofernandoribeiro.com.br/

CEARÁ PACÍFICO??? Balanço parcial aponta 28 assassinatos no Ceará no fim de semana


segunda-feira 29.2.2016 B 042
Na manhã desta segunda-feira (29), um motoqueiro foi morto, a tiros, na Avenida Perimetral
O fim de semana registrou nova sequência de atos de violência no Ceará. Um balanço parcial aponta que entre a última  sexta-feira (26) até o começo da madrugada desta segunda (29), ao menos, 28 pessoas foram vítimas de homicídios, latrocínios ou lesões corporais  seguidas de morte, denominados pela Secretaria da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) como  Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLI).
Na Capital, prevaleceu a ordem dos chefes de organizações criminosas para não acontecer assassinatos nas zonas dominadas pelo tráfico. Por conta disso, somente quatro crimes de morte foram registrados no fim de semana, nos bairros Conjunto Ceará,  Antônio Bezerra, Curió e Siqueira.
Já na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), foram registrados 12 assassinatos nos seguintes Municípios: Caucaia (4 casos), Maranguape (3), Maracanaú (3), São Gonçalo do Amarante e Pacatuba.
No Interior cearense, 12 homicídios ocorreram nos seguintes Municípios: Tauá (2), Juazeiro do Norte (2), Parambu, Guaraciaba do Norte, Ibicuitinga, Santa Quitéria, Jaguaribara, Morada Nova, Aratuba e Russas.
Entre as vítimas dos homicídios do fim de semana estão três mulheres. Dois duplos homicídios foram registrados também,, além de uma morte resultante de confronto de bandidos com a Polícia Militar.
Veja agora a lista das vítimas dos assassinatos no  balanço parcial do fim de semana:
HOMICÍDIOS EM FORTALEZA/CAPITAL
01 – Antônio N.S. (bala) – Avenida Odilon Guimarães (Curió)
02 – Joel Holanda Cavalcante (bala) – Avenida G (Conjunto Ceará)
03 – Vítima não identificada (bala) – Rua Maria Firmino (Siqueira)
04 – Jonh A. (bala) – Rua Salgado Filho (Antônio Bezerra)
HOMICÍDIOS NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA (RMF)
05 – Raul G. (bala) – Rua José Lima Nunes/Área Seca (Maranguape)
06 – Vítima não identificada (bala) – Avenida César Montenegro (Caucaia)
07 – Eloína Alves Dutra (faca) – Travessa São Luiz/Guajiru  (Caucaia)
08 – João Passos de Souza (faca) – Travessa São Luiz/Guajiru (Caucaia)
09 – José L. (bala) – Sítio Varjota/Pecém  (São Gonçalo do Amarante)
10 – Célia Alves de Lima (bala) – Travessa 12/Alto Alegre II (Maracanaú)
11 – Vítima não identificada/masculino (bala) – (Maranguape)
12 – Vítima não identificada/masculino (bala) – (Pacatuba)
13 – Vítima não identificada/masculino  (bala) – (Caucaia)
14 – Vítima identificada apenas por “Robinho” (bala) – Rua 65 (Maracanaú)
15 – Vítima não identificada /sexo masculino (pauladas) – Jaçanaú (Maracanaú)
16 – Vítima sem identificação/masculino (bala) – (Maranguape)
HOMICÍDIOS NO INTERIOR DO ESTADO
17 – Cícero Araújo de Lima (bala) – Bairro Alto Brilhante (Tauá)
18 – Vítima identificada apenas por “Baiano” (bala) – Bairro Alto Brilhante (Tauá)
19 – Edivan Severino Pereira (bala) – Bairro Cachimbo II (Parambu)
20 – Guilherme Matos de Sousa (bala) – Distrito Várzea dos Espinhos (Guaraciaba do Norte)
21 – Romário Pinheiro Damasceno (bala) – Localidade Açude dos Pinheiro (Ibicuitinga)
22 – João Ximenes Feijão (bala) – Distrito Logradouro (Santa Quitéria)
23 – Raimundo Nonato da Silva Ferreira (bala) – Distrito Umari (Juazeiro do Norte)
24 – Vítima não identificada/masculino (decapitado) – Zona rural (Jaguaribara)
25 – Taís Pereira da Silva (bala) – Bairro José Geraldo da Cruz (Juazeiro do Norte)
26 – Carlos Alex de Sousa (bala) – Bairro de Fátima (Russas) 
27 – Vítima não identificada (bala) – (Morada Nova)
28 – Vítima não identificada (bala) – (Aratuba)
.blogdofernandoribeiro.com.br

CPI das irregularidades no seguro DPVAT entra em nova fase a partir de março


Em 2015, mais de 63 mil pedidos para indenizações foram feitos, segundo a Seguradora Líder DPVAT. O Ceará só está atrás de Minas Gerais.

A CPI do Seguro DPVAT, instaurada na Assembleia Legislativa do Ceará para averiguar possíveis irregularidades na concessão dos seguros, ganha nova fase a partir de março. A informação é da Rádio Tribuna Band News FM.

Serão ouvidas duas funcionárias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que teriamfacilitado a emissão de laudos médicos com a finalidade de fraudar o benefício.

O titular da Delegacia de Acidentes e Delitos de Trânsito, César Vagner, afirma que há casos suspeitos em investigação.

Tribuna do Ceará

Camilo Santana pede ajuda da Polícia Federal para conter o avanço das facções criminosas no Ceará



Encurralado diante do avanço da criminalidade no Ceará e o domínio das facções criminosas Comando Vermelho e PCC na periferia da Capital, o governador do estado, Camilo Santana (PT) pediu ajuda da Polícia Federal para reprimir a ação dos criminosos vindos do Rio de Janeiro e São Paulo. Mas, acabou levando um não.

A PF informou que poderia auxiliar o Ceará no combate ao tráfico de drogas, mas quando à presença das facções, este assunto é da competência do Estado. Diante disso, o governador partiu para outra opção. Foi pedir ajuda à Justiça Federal e ao Ministério Público, bem como ao próprio ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, que esteve em Fortaleza há duas semanas.

Hoje, Camilo deverá participar da solenidade de posse do novo superintendente regional da PF no Ceará, Delano Bunn. No ato, estará presente o delegado-geral da PF, Leandro Daiello. Será uma nova oportunidade que o chefe do Executivo cearense terá para fazer mais um apelo de socorro diante do avanço das facções na Capital cearense.

O governador agora se acha em maus lenços. Na Assembleia Legislativa há um requerimento do deputado estadual Capitão Wagner (PR), solicitando a abertura de investigações por parte da Polícia Civil para apurar a chegada e a atuação das duas facções.

No ano passado, a mesma Assembleia solicitou de Camilo que requeresse a vinda da Força Nacional de Segurança (FNS) para auxiliar no combate ao crime. Ele sustentou que a presença da tropa da FNS era “desnecessária”. Terminou 2015 com mais de três mil assassinatos no Ceará e com o número recorde de 15 policiais mortos. Neste ano, já são cinco agentes da Segurança Pública assassinados.

Cabo

Enquanto Camilo Santana busca ajuda para sanar um problema que, a princípio, tentou negar diante da Imprensa, outro político já se mobiliza para buscar providências.

Trata-se do deputado federal Cabo Sabino, representante do Ceará na Frente Parlamentar da Segurança Pública na Câmara Federal. Ele já informou que pediu uma audiência com o ministro Eduardo Cardozo para tratar do assunto.

Fonte: Cearanews7

Aluga-se apartamento na rua Dr. Nilson monteiro conjunto santa Lúzia Crato... Telefone 3523-3666...


Homicídio na cidade de russas

ACABA DE ACONTECER MAIS UM HOMICÍDIO NA CIDADE DE RUSSAS, DESSA VEZ CRIME OCORREU NA PONTE QUE LIGA AO BAIRRO DE FÁTIMA, MAS PRECISAMENTE NO QUIOSQUE QUE FICA PRÓXIMA DA QUADRA DE ESPORTE, SEGUNDO À VÍTIMA ERA CONHECIDO COMO ALEX. 

Homicídio bem Fortaleza

Homicídio registrado agora às 6:00 da

 manhã na Rua M Rua 2 no conjunto
 Prefeito José Walter

José Eduardo Cardozo decide deixar o ministério da Justiça

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, deve deixar pasta nesta semana. Interlocutores da equipe de Dilma Rousseff dizem que ele já tomou a decisão.

Afirmam ainda que, embora a presidente preferisse que ele continuasse onde está, desta vez Cardozo, que já ameaçou pedir demissão em outras oportunidades, não deve voltar atrás.

Os dois já teriam inclusive conversado sobre a eventual demissão. Não está descartada a possibilidade de ele ser aproveitado em outro cargo.

Ana Paula, Munik e Tamiel formam o primeiro paredão triplo do "BBB16"


Ana Paula, Munik e Tamiel se enfrentam no primeiro paredão triplo do "BBB16" e disputam a preferência do público para continuar no reality. A eliminação de um dos três será na próxima terça-feira (01).

A formação do quinto paredão do "BBB16" começou com Tamiel indicando Ana Paula direto para a berlinda, já que o brother atendeu o Big Fone nesta semana e garantiu a vantagem de indicar um dos brothers para o paredão. Esta é a terceira vez que a mineira corre o risco de ser eliminada. A sister também já participou de um paredão falso.

Em seguida, o anjo da semana, Maria Claudia, presenteou Adélia com uma imunidade nesta votação. "Acredito que hoje ela corre risco", disse a youtuber. Na votação desta noite, Renan também estava imune.

Em comum acordo, os líderes da semana, Renan e Tamiel, indicaram Munik para seu primeiro paredão. Eles justificaram o voto, dizendo que a decisão foi baseada em "critérios matemáticos".

Tamiel foi o participante mais citado no confessionário, recebendo três votos e completando o trio de emparedados.

Em entrevista a jornal, "Japonês da Federal" diz que fama gerou inveja e ciúmes

O policial federal Newton Ishii, 60 anos, ficou conhecido em todo o país como o "Japonês da Federal" após aparecer em fotos conduzindo investigados da Operação Lava Jato à carceragem em Curitiba. "É o meu trabalho. Tem colegas que participaram até de mais prisões que eu, mas virei o rosto da Lava Jato", diz ele em entrevista publicada neste domingo (28) no jornal "Correio Braziliense".

Na entrevista, o agente conta que se surpreendeu com a fama repentina.

Requisitado para selfies por onde passa e tema de marchinha no Carnaval de 2016 e boneco do desfile de Olinda (PE), o "Japonês da Federal! diz que a melhor parte de ter se tornado conhecido é o reconhecimento de crianças e adolescentes. "Tem o lado bom, do reconhecimento. O lado das crianças e adolescentes é muito legal. Eles querem tirar foto, conversar e estudar para mais tarde fazer concurso para a Polícia Federal. Estamos dando um bom exemplo", declarou.

Sobre o lado ruim, Ishii revela que ter se tornado famoso gerou ciúme dos colegas da PF. "Tem muita inveja em cima disso, ciúmes de colegas. Em um momento isso chegou a me desanimar. É normal do ser humano sentir ciúmes, inveja, mas quando é demais e começam a atacar o lado pessoal, fica muito chato", declara, sem citar nomes de colegas que teriam sentido inveja. "Se a gente está fazendo o bem para a sociedade, por que esse tipo de coisa?", questiona.

Na entrevista, o agente, que está atualmente em férias da PF, conta que já perdeu um filho e que pretende se aposentar em maio para se dedicar à filha, Jordana. "Ela não gosta [da fama do paí]. Fica assustada e temerosa. Antes, ela saía com as amigas; agora não mais. Tenho muito medo de alguém fazer algo a ela para me atingir", diz o agente da PF.

Sobre a prisão em 2003 por acusação de contrabando, o agente se diz inocente. "Como me indiciaram por facilitação de contrabando se não tinha empresa, apreensão de mercadoria, nada?" Ishii foi preso e condenado a pagar cestas básicas, mas recorreu. "Como é que eu vou pagar cesta básica por uma coisa que não fiz? Os processos administrativos foram arquivados por falta de provas."