Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com/WHATSAPP [88] 9 9788 5932

domingo, 11 de junho de 2017

Homem é preso após tatuar "eu sou ladrão e vacilão" na testa de jovem

Suspeitos foram presos no centro de São Bernardo do Campo.
Um vídeo de tortura que mostra um jovem de 17 anos sendo tatuado na testa com a frase "eu sou ladrão e vacilão" viralizou nas redes sociais.

O tatuador Ronildo Moreira de Araújo, 29 anos, e o vizinho Maycon Wesley Carvalho dos reis, 27 anos, foram presos em flagrante por tortura, na noite desta sexta-feira (9), no Centro de São Bernardo do Campo.

De acordo com o G1, eles são responsáveis pela tatuagem na testa do adolescente, que teria ocorrido na manhã de sexta-feira (9).

O jovem que aparece nas imagens estava desaparecido desde 31 de maio e foi reconhecido por familiares, que foram até o 3º Distrito Policial de São Bernardo do Campo para tentar localizar o paradeiro do rapaz. A família disse à polícia que o jovem é usuário de drogas.

O tatuador foi localizado no Centro de São Bernardo do Campo. Ronildo e Maycon disseram na delegacia que o adolescente teria tentado furtar uma bicicleta na região e ficaram revoltados com isso e "resolveram tatuar o mesmo como forma de punição".

A polícia fez uma operação de busca para encontrar o jovem que foi tatuado, mas ele está desaparecido. O tatuador e o vizinho informaram que colocaram o jovem em liberdade.

"O vídeo circula desde ontem [sexta-feira] na internet. A polícia agiu corretamente. Submeter alguém a intenso sofrimento físico e psicológico configura tortura. Se ele estava tentando furtar ou roubar eles deveriam chamar a polícia e não torturar", disse o advogado Ariel de Castro Alves, coordenador da Comissão da Criança e do Adolescente do Condepe (Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Humana de São Paulo).

Fonte: Notícias ao minuto

Ceará vive uma epidemia de violência?



Resultado de imagem para homicídios no ceará
Fala-se que o Ceará vive uma quase epidemia de chikungunya, no que leva o governo estadual a lançar megacampanha segunda-feira, às 9 horas, no Centro de Eventos. Tudo bem, mas há outra quase epidemia - se é que assim pode ser definida, que já incomoda há tempos e voltou a crescer. As estatísticas de violência são alarmantes, com o registro de mais de 445 assassinatos só em maio. É a epidemia da droga e, em especial, do crack que se espalhou não apenas na Capital, mas em pelo menos 35 municípios, de acordo com fontes policiais. Em Fortaleza, o apoio nessa área é frágil e a Prefeitura - parece - quer trocar os CAPs pela assistência residencial. O Estado montou uma secretaria contra as drogas, que, até hoje, virou assento para acomodações políticas nos moldes da pasta dos Esportes. O crack expandiu-se absurdamente, turbinado por facções criminosas que desafiam a tudo e a todos. Essa epidemia precisa ser levada a sério, porque não destrói só famílias e relações, mas o futuro de crianças e adolescentes. Só operações policiais, que ganham a mídia, não resolvem. Alguém já ouviu falar em campanhas oficiais nas escolas? Se existem, são ações isoladas. Pouco se sabe, pouco se viu de resultado.

Com informações do portal O Povo

HOMEM É LINCHADO APÓS TENTATIVA DE ESTUPRO EM FORTALEZA

Na noite deste sexta-feira, 09, um linchamento aconteceu na rua Amaro Cavalcante no bairro Monte Castelo.
Moradores foram surpreendidos com a chegada de um homem em uma motocicleta informando que um outro homem tinha tentado estuprar uma criança e o mesmo estava sendo perseguido por várias pessoas, inclusive familiares da vítima.

Em poucos instantes, o acusado, sem identificação, mas com aparência de pouco mais de 40 anos de idade, foi pego por populares. Houve uma série de agressões com socos e chutes. Em seguida, ele conseguiu se soltar e correu pouco mais de 40 metros, mas populares conseguiram pegá-lo novamente.

Desta vez a série de agressões foram além e agrediram o suspeito a pedradas e a pauladas. Duas viaturas policiais estiveram no local. Uma delas não aguardou o atendimento do Samu e encaminhou o acusado ao IJF, mas ele não resistiu aos ferimentos e morreu em atendimento. 

Maiores informações você confere na edição de segunda-feira do programa Cidade 190 e Cidade Alerta.

Fonte: Cnews